[Game ON] Batman Arkham Asylum

New Games Post

Batman Arkham CapaPara aqueles que acompanharam a mini-retrospectiva sobre o Batman nos Games (neste link aqui), reparou que o Homem-Morcego tem sido tratado como um mero vigilante e não como um detetive que sempre foi. As histórias do Batman sempre tentaram desenvolver essas duas características do vigilante, mas quando o assunto era games, lutas sempre saíam em vantagem. É um jogo que finalmente faz jus às histórias do vigilante de Gotham City, com um roteiro interessante, vários vilões, já que o jogo se passa na casa do inimigo, e desafios que irão enriquecer e muito a sua coleção de bat-informações.

Batman e Coringa

E foi por isso que não havia me empolgado muito com o lançamento de Batman Arkham Asylum, até ver um dos primeiros trailers, onde o lado detetive era levado em consideração nesse jogo. E bem aplicado. E o lado detetive já começa com a suspeita do protagonista ao capturar seu arqui-inimigo Coringa, que mesmo após aterrorizar a Prefeitura de Gotham, se entrega sem nenhuma resistência. E as suspeitas de Batman estavam corretas, pois tudo não passava de uma encenação orquestrada para atraí-lo para dentro do maior reduto de super-criminosos: o Asilo Arkham.

Batman Arkham

Assim que entra no Asilo escoltando o Coringa, Batman se depara com alguns dos vilões que ele mesmo colocou no Asilo, como Croc, Arlequina e Charada. E cada um vai desempenhar o seu papel num enredo interesante, conciso e que consegue manter a atenção do jogador por todo o tempo de jogo. Coringa tem um plano, que envolve enlouquecer Batman, sequestrando o Comissário Gordon e o Diretor do Presídio, Warren Sharp, e fazendo o Homem-Morcego percorrer todos os aposentos do Asilo atrás de pistas, e eventualmente encontrando seus outros inimigos.

Batman Alex Ross

Pra piorar a situação, devido à um estranho atentado, vários prisioneiros da Blackgate (prisão de segurança máxima de Gotham) tinham acabado de ser transferidos para Arkham, e são usados pelo Coringa como capangas para tentar segurar o Batman. Ou para apanhar, já que Bruce Wayne está na sua melhor forma, física e mentalmente, tudo graças ao Free Flow Combat desenvolvido pelas produtoras dos games. Neste sistema, você não fica atrelado à um inimigo somente, e pode distribuir socos e pontapés de acordo com a sua vontade. Ou seja, mesmo estando cercado por 5 inimigos, você sente que tem o controle para atacar outro oponente antes de finalizar o primeiro, além de ter um botão específico para contra-ataque e outro para usar a capa e atordoar os inimigos, deixando os capangas vulneráveis aos seus ataques.

Batman vôo

Mas como eu havia dito, o jogo não se trata só de pancadaria. Em vários momentos você é obrigado a encontrar pistas para saber a respeito do paradeiro dos seus inimigos ou até dos reféns do Coringa e pode contar com a ajuda da Oráculo. E mesmo quando a pacadaria é inevitável, armar uma estratégia pode te dar uma facilidade muito maior, além de ser divertido observar o pânico nas reações dos demais inimigos. Outro aspecto bem abordado pelo jogo é a necessidade de criar estratégias para enfrentar muito inimigos, principalmente quando eles estão armados, ou usando reféns como escudos. Nessas horas vale até apelar para os bat-apetrechos, como a piststola de gel explosivo, os batarangues e suas variações (sônico, teleguiado, duplo ou triplo), o bat claw (usado como gancho), e outros aparelhos que são conseguidos em determinados pontos da história.

Batman gadgets

O roteiro do jogo é bem convincente. Vários inimigos do Batman são usado nessa tentativa de rebelião do Coringa, mas outros se sentem apenas incomodados pelos dois estarem brincando de gato e rato nas suas celas e não são necessariamente a favor do tumulto. Fora isso, ainda temos o Charada interferindo na comunicação entre Batman e a Oráculo, e lançando desafios para o Homem-Morcego procurar informações e charadas visuais sobre os demais super-vilões, como Mr. Freeze, Mulher-Gato, Scarface e outros.

Batman Visão

Em resumo, de longe Batman Arkham Asylum é o melhor jogo do Homem-Morcego, e talvez o seja porque não foi feito às pressas para acompanhar o lançamento de um filme, uma história em quadrinhos, ou qualquer que seja a jogada de marketing. O jogo foi pensado, trabalhado, desenvolvido sem pressa, e utilizou com bastante primazia as características de cada um dos personagens, seja mocinhos ou vilões. O Batman lembra muito a arte deAlex Ross, que desenhou várias edições especiais da DC, inclusive com Batman e a Liga da Justiça. Além de ser um jogo muito bem feito, ao ponto de que se fosse outro personagem qualquer o jogo ainda assim seria animal. Batman Arkham Asylum definitvamente é um jogo que tem que ter na sua biblioteca, mesmo que você não seja fã do Homem-Morcego.

Batman Alex Ross2