Monthly Archives: May 2010

[New Games] Quatro Previews!

Confira mais quatro previews de Games que vem por aí!

Blur – {Corrida estilo Arcade|PC, PS3 e XBox 360|25/05/2010} – Blur promete fazer a fusão entre Mario Kart e Need for Speed, levando gráficos semi-realistas para corridas onde power-ups podem decidir uma posição no ranking. Mas ao invés de entregar um jogo que simplesmente já existia na cabeça dos gamers, os produtores de Blur (os mesmos por trás de Project Gotham Racing) criaram desafios no modo single player que tentam dar longevidade às corridas enquanto você busca o respeito dos melhores pilotos da cidade.

[gametrailers 100191]

Não, não tem o power-up casco verde!

StarCraft 2 – {Real Time Strategy|PC|27/07/2010} – Tido como o jogo mais esperado da Blizzard desde World of Warcraft, StarCraft 2 esteve em desenvolvimento por mais de 10 anos, foi anunciado oficialmente em  maio de 2007, e após um curto tempo de multiplayer beta aberto aos fãs, parece que está tudo pronto para o lançamento oficial.  Será que a espera valeu a pena? StarCraft 2 estará disponível para PCs a partir de 27 de julho deste ano.

[gametrailers 65256]

Um jogo esperado há mais de 10 anos!

Metal Gear Solid Peace Walker – {Stealth Action|PSP|08/06/2010} – Anunciado na E3 de 2009, Metal Gear Solid Peace Walker pretende contar mais detalhes dos caminhos percorridos por Big Boss durante a Guerra Fria, época em que deu início à formação do seu grupo de renegados Outer Heaven. Tomando boa parte da jogabilidade de MGS: Portable Operations mas ainda sim inovando, a camera ganhou um novo esquema de controle, e seus inimigos recrutados podem fornecer ajuda ainda na base, criando equipamentos e medicamentos, de acordo com suas habilidades. Peace Walker estréia dia 8 de junho no PSP.

[gametrailers 100166]

Snake? Snake?? Snaaaaaaaaaaake???

Alpha Protocol {Ação|PC, PS3 e XBox 360|01/06/2010} – Combinando Third Person Shooter com elementos de RPG e ação furtiva, Alpha Protocol tem alguns pontos em comum com Mass Effect, só que desta vez a trocamos as fronteiras intergaláticas pelas internacionais. Com uma árvore de diálogos e ações que podem determinar o seu desfecho, Alpha Protocol vai montando seu enredo à medida que você cumpra as missões passadas por sua agência. Veremos em junho se Alpha Protocol será mais um, ou conseguirá sobresair neste tipo de categoria.

[gametrailers 100742]

Mass Effect + Dead to Rights = Alpha Protocol.

Por enquanto é só. Se quiser recerber o RSS do Dia de Gamer, é só clicar aqui! Siga o blog no twitter também (@diadegamer)!

[Game ON] Bioshock 2

Materia originalmente publicada no Jovem Nerd!

Como superar um dos melhores First Person Shooters da nova geração? Lançado em 2007, o antecessor de BioShock 2 (PS3, XBox 360 e PC) foi um dos mais inovadores de seu gênero, por trazer uma história interessante, uma ambientação primorosa e alguns dos inimigos mais memoráveis dos FPS atuais. Ambientado na cidade de Rapture, nesta nova versão você revisita os locais familiares que já conhece, mas num novo corpo. O do primeiro Big Daddy, Delta.

Delta, o Big Daddy original…

Para aqueles que não conhecem, na história de BioShock original, que acontece em 1960, você é apresentado à cidade submersa de Rapture, uma utópica cidade criada pela visão de Andrew Ryan nos anos 40. A cidade, que havia sido criada para suportar uma sociedade ideal, desenvolveu a tecnologia da biogenética e bioengenharia, na tentativa de criar seres humanos perfeitos, e obteve seus produtos na forma da substância batizada de ADAM, células especiais criadas a partir de lesmas do mar, com capacidade de regeneração muscular e alterações no genoma humano. Essas lesmas eram implantadas no estômago de crianças (as Little Sisters), e para que a colheita de lesmas provenientes do estômago das Little Sisters não tivessem nenhum problema, elas ganhavam a proteção dos guarda-costas chamado Big Daddies, humanos com lavagem cerebral confinados em monstruosos escafândros.

Coisinha linda da mamãe….

Não durou muito para que a teoria de Andrew caísse por terra, e as operações ilegais e contrabando de ADAM tivesse início, criando a categoria dos Splicers (humanos que ficam buscando mais e mais ADAM, atrás de mudanças genéticas). Sua missão, no primeiro jogo, inicialmente era a de sair de Rapture, mas logo você vê que será sobreviver. O uso prologado e sem cuidado do ADAM provoca alterações de estado psíquico, e os habitantes logo se tornaram sanguinários e violentos, atacando tudo o que vêem. A sociedade utópica falha, e Rapture passa a ser uma cidade submersa abandonada à própria sorte.

A utópica cidade de Rapture e sua arquitetura dos anos 40…

Os eventos de Bioshock 2 começam em 1968, 8 anos após os eventos do primeiro jogo. Você acorda dentro da armadura de Big Daddy Delta, o primeiro de sua raça, e protótipo dos guarda-costas. Como foi programado, sua principal missão é proteger sua Little Sister, Eleanor. Sua primeira missão é encontrá-la. Dessa vez, durante a sua jornada, você se depara com uma nova raça de inimigos comandada pela nova líder de Rapture, Sofia Lamb: as Big Sisters. Se no jogo anterior os Big Daddies te deixavam nervoso, as Big Sisters vão te tirar do sério. Mais rápidas, mais inteligentes e mais mortais que os mergulhadores do game anterior, será necessário mais do que armadilhas comuns e armas poderosas para derrotá-las. As Big Sisters nada mais são do que as Liltte Sisters crescidas e colocadas em armaduras, com o simples propósito de substituir os obsoletos mergulhadores de metal, na tarefa de assegurar o crescimento do ADAM dentro das crianças de Rapture.

Sim, elas são mais rápidas e mais mortais que você.

A história de BioShock 2 se mostra interessante, ao abordar a mesma trama sob um ângulo totalmente novo. Os finais desta vez são um pouco mais variados do que o jogo anterior, e eles estão em 4 formas (Good, Evil e dois Choices). A maneira com que a narrativa é desenvolvida é a mesma do antecessor, através de gravações em fitas cassete, recortes e artigos de jornal, encontrados pela cidade. Algumas partes em específico, onde suas decisões vão interferir nos resultados adiante, conseguem manter a tensão e preocupação com a história, mesmo quando o plot principal dá uma esfriada. A jogabilidade recebeu uma refinada, muito embora ela já fosse notável em Bioshock 1. Durante a sua jornada, você vai encontrar cadáveres perdidos, e poderá vasculhar seus corpos em busca de moedas, ítens ou munições, além de hackear as máquinas de venda nas ruas da cidade. Um downgrade nesta versão foi a linearização dos cenários, e a sensação de “cidade livre” se perdeu um pouco. Com uma visão mais ampla percebemos que não foi na verdade uma restrição colocada, mas sim uma adaptação à história: como você tem uma “missão” (encontrar sua Little Sister) e na sua mente tudo o que interessa é cumprí-la, não iria ficar perdendo tempo explorando locais diferentes, o que é facilmente percebido. O lado negativo disso é que se deixar uma arma ou upgrade pra trás, você não terá como pegá-lo de novo. Alguns novos puzzles foram acrescentados, e farão você coçar a cabeça algumas vezes para poder resolvê-los.

A estratégia ganhou papel importante em Bioshock 2.

O combate também recebeu uma boa atenção, e sinceramente merecia estas melhorias. Embora os encontros com as Big Sisters sejam previstos e você tenha tempo para se preparar para a batalha, sem essa mudança a dificuldade do jogo seria muito mais alta. Uma das melhores táticas para se enfrentar hordas de inimigos é observar sua munição e seu ambiente. Óleo derramado no chão é quase uma intimação para queimar seus adversários enquanto que áreas inundadas estimulam você a eletrocutá-los com seus super-poderes. Com várias armas e cada uma delas com mais de 3 tipos de munição, o jogo te convida a experimentar. Outra inovação muito bem vinda da franquia é a opção de registrar alguns combates com seus adversários e descobrir pontos fortes e fracos dos mesmos, e salvando estas informações você pode facilitar a sua vida nos futuros encontros.

“-Sai pra lá, lata velha”     “-Ah, olha quem fala!”

Como você agora é um Big Daddy, sua furadeira será muito requisitada, mas mantenha um olho no quanto de combustível você tem sobrando antes de sair perfurando quem estiver pela frente. Além disso, você pode “adotar” uma Little Sister, e usá-la para coletar ADAMs, ou para atrair inimigos para uma armadilha. Como você está totalmente na visão de um Big Daddy desta vez, defender sua Little Sister adotiva é tarefa rotineira, e infelizmente cai na mesmice depois da 3ª ou 4ª vez. Você também terá acesso aos mais variados Plasmids (super-poderes) disponíveis, seja invocando gelo, fogo, eletricidade, abelhas, ou poderes psíquicos, no sistema semelhante ao jogo anterior, onde sua mão direita empunha a arma e a esquerda seus poderes.

Os Plamids estarão disponível no modo Story e no Multiplayer

O Multiplayer foi acrescentado em Bioshock 2, e os modos de jogo seguem bastante os mesmos presentem em grandes games online do gênero, como Call of Duty: Modern Warfare e Halo. O diferencial aqui é o uso de seus poderes Plasmids em inimigos, e saber qual será a sua reação durante a próxima vez que se encontrarem. Outro ponto bem diferente é a um certo desequilíbrio entre a força das armas e o health de seu personagem, já que mesmo com 3 tiros de calibre .12 à queima-roupa não é garantia de que seu inimigo irá morrer, ao contrário do que acontece nos demais jogos do gênero. É um extra na diversão mas muito dificilmente será responsável por fazer você continuar o game após terminar a história principal.

Delta e Eleanor, sua protegida.

Em resumo, Bioshock 2 consegue se sobressair bem com relação ao FPS atuais, por apresentar algumas mudanças que atiçam a curiosidade dos gamers, mas ainda assim é inferior ao seu antecessor no que se trata de inovação. O retorno à Rapture aliado à uma nova visão da cidade atrás da máscara de mergulho de um Big Daddy traz boas surpresas que justificam com folga suas horas investidas neste game. A grande arquitetura de época presente na cidade está lá novamente, e muito embora apresente um pouco menos variação desta vez, ainda é soberba e rende paisagens e locações nostálgicas, caso seja sua segunda imersão nesta cidade virtual. Uma história envolvente que você vai querer acompanhar até o final, mais algumas mudanças na jogabilidade e no sistema de combate com certeza dão o mérito à sequência.

[Game ON] Just Cause 2

Post_GameOn

A minha história com Just Cause 2 é no mínimo engraçada. Não fazia idéia que este jogo existia. Só sei que houve um anterior por causa do “2” no título deste. Mas foi só pegar o demo para saber que realmente é um game pra se prestar atenção.

Parachute

Para-quédas: a melhor maneira de viajar em Panuan City…

O roteiro segue uma história morna, mas que serve aos propósitos do jogo. Você é um mercenário chamado Rico, com o codinome Scorpio, que tem como objetivo criar o caos, destruíndo propriedades dos seus alvos, abrindo caminho para que seus contratantes apliquem golpes de estado e tomem o poder. Tentando traçar um paralelo, seria um Gran Theft Auto somado aos cenários de Far Cry com o arpão do Scorpion, de Mortal Kombat (OK, fui longe nessa!)

Just Cause 2_GO

Alguns cenários me lembraram muito de Far Cry.

O maior atrativo de Just Cause 2 é sem dúvidas a jogabilidade. Armado com um arsenal completo e mais um arpão preso à mão esquerda, Rico pode experimentar várias combinações de como criar a desordem, seja atirando em tanques de gasolina para explodir carros ao redor, seja prendendo inimigos com seu arpão em cilindros de gás e mandando ambos pelos ares. Rico também pilota carros, motos, botes, barcos, helicópteros, caças e em todos eles você pode se pendurar e fazer mais acrobacias, inclusive para pular de um caça à outro e eliminar seus pilotos. É, a veracidade não é o forte aqui.

Just Cause 2_GO1

Isso é o mais perto do Homem-Aranha que você vai chegar sem ser o Homen-Aranha.

Rico ainda conta com um estoque de para-quedas, pois acima de uma determinada altura, ele já se posiciona e abre o mesmo para amortecer a queda, mas pode fazer isso várias vezes no mesmo pulo. Inclusive, pode prender seu arpão em um helicóptero, ou avião, e abrir seu paraquedas para alcançar vôos mais demorados.

Just Cause 2_GO2

Armas e Upgrades estão presentes… É só procurar pelas peças.

O jogo apresenta alguns bugs, e também algumas movimentações bem estranhas, como abrir seu para-quédas durante uma corrida de motos. Outras vezes parece que o processador fica indeciso sobre as árvores, e algumas vezes você pode passear tranquilamente com seu para-quédas aberto, enquanto outras você fica agarrado e cai.

Just Cause 2 vem com um sistema de compra de armas e upgrades bem interessante: você encontra alguns baús com peças que somadas são trocadas pelo upgrade que você quer. Vale o mesmo sistema para os upgrades de veículos, e assim que você termina a sua compra, sua arma é entregue à sua frente.

Just Cause 2 está disponível para PC, PS3, e XBox.

Trailer de lançamento de Just Cause 2

Neste vídeo você tem uma boa noção de como esse jogo pode ser interessante!