Tag Archives: BATMAN ARKHAM CITY

Batman-Arkham-City-VITRINE

[Game ON] Batman Arkham City

 *Post originalmente publicado no Jovem Nerd. Re-publicado sob autorização!

Batman: Arkham Asylum (PC, PS3, Xbox 360) foi lançado em 2009 e é considerado o melhor jogo doHomem Morcego de todos os tempos. Desde o seu final, já tinhamos pistas de que uma sequência era esperada, e dia 18 de outubro foi lançado Batman: Arkham City (PC, PS3, Xbox 360), que promete expandir as idéias do primeiro game, além de te levar ao encontro de mais personagens memoráveis das histórias do Batman. E pra grata supresa dos fãs, a nova aventura do morcegão melhora o que já era bom no game anterior, e expande muito mais o que você pode fazer por Arkham City.

A premissa do jogo é interessante: logo após os eventos de Arkham Asylum, o seu antigo diretor Quincy Sharp ganha os créditos por contornar a rebelião criada pelo Coringa, e lança seu projeto mais ambicioso, na forma da cidade-presídio Arkham City. O projeto leva Sharp ao status de Prefeito de Gotham, e ele aponta o psiquiatra gênio Hugo Strange como diretor do novo complexo presidiário. Todas as peças estavam prontas para o grande show: capturar o Homem-Morcego.

O jogo começa bem diferente de Arkham Asylum, já que Bruce Wayne escolheu combater o novo presídio na frente política, e está fazendo um discurso contra a própria existência de Arkham City. Durante o comício, a empresa de segurança contratada por Strange, chamada TYGER, leva o bilionário preso. Você começa o jogo já dentro do grande “viveiro” de criminosos de Gotham. A DC Comicslançou um quadrinho especial, contando vários detalhes desta trama, assinada por Paul Dini, o mesmo roteirista de Arkham Asylum e de várias histórias memoráveis do Morcegão.

O ponto mais interessante de Arkham City com relação ao seu antecessor, é a total quebra de linearidade que as paredes do asilo impunham em você. Claro, você podia mudar de direção durante uma missão e procurar por alguns troféus do Charada, ou atacar alguns bandidos, mas sua rotina era basicamente fechada, quase linear.

Em Arkham City, isso mudou, e pra melhor. O resultado é que podemos viver um dia na pele do Batman realmente, com algumas missões mais prioritárias na sua vista, mas com vários case filesdiferentes para cumprir na forma de missões secundárias. É quase que um sandbox do Homem-Morcego, mas que em nenhum momento você perde o foco na situação ao redor. Mesmo se você se fixar somente aos objetivos principais, basta uma mudada para o detective mode para aguçar sua curiosidade sobre o que mais acontece em Arkham.

A história corre ao redor do grande embate entre Hugo Strange e Bruce Wayne, mas com várias outras ao redor, e o que mais vai te desvirtuar é sobre o Coringa e sua doença fatal. Alguns meses depois de injetar em si mesmo uma overdose do soro TITAN (final de Arkham Asylum), o Palhaço Príncipe do Crime começa a ter sua saúde debilitada, e descobre que está morrendo aos poucos, graças ao efeito do veneno.

Mesmo sequestrando vários médicos e levando eles para dentro de seu esconderijo, não parece haver uma cura, e então ele e Arlequina resolvem incluir Batman nesta equação em busca de uma solução. E tudo isso no meio de uma cidade que está em estado de tensão, dados seus principais líderes de gangues, sendo eles o Pinguim,Duas-Caras e o próprio Coringa.

Ao contrário do game anterior, Batman está armado desde o início, assim como prometido pela Rocksteady, mas não quer dizer que as opções param por aí. Muitas novas opções podem ser desbloqueadas em menos de 2 horas de jogo, no mesmo sistema de upgrades do game anterior. A diferença agora é que por causa da organização mais “orgânica” dos inimigos pelo meio da cidade, você pode arrumar XP facilmente, bastando procurar por grupos e aplicar todos os conhecimentos de combate do game anterior, que são bem semelhantes.

Das novidades dos dispositivos (gadgets), muitos são conseguidos derrotando vilões, ou em parcerias com antigos inimigos, como Mr Freeze, por exemplo, ou em entregas feitas por Alfred quando solicitado. São muitas as opções de upgrades, que criam um verdadeiro senso de recompensa, e que você ainda vai gastar algum tempo coletando mesmo após terminada a história principal.

Na movimentação, Batman pode planar pelos céus de Arkham, recuperando altura com seu arpéu, e fazendo verdadeiros mergulhos para logo em seguida planar por mais tempo, ou para afundar a cabeça de um adversário na nova versão do seu chute planando. E quando entra em combate, novos inimigos aparecem.

Adversários armados com facas e bastões elétricos já são velhos conhecidos por te obrigar a usar uma tática especial, mas agora temos inimigos com armaduras e alguns com escudos improvisados, outros que são resquícios do projeto Titan, além de grandes inimigos de um braço só armados com marretas, e cada um leva sua parte de estratégia para ser derrotado.

Nos combates deste game, vários inimigos podem te atacar ao mesmo tempo, e seu counter pode funcionar com até 3 inimigos, impedindo que seu free-flow seja perdido por estar sendo cercado por mais de 15 adversários ao mesmo tempo. Ainda foram acrescentados alguns golpes especiais como o atordoamento que atinge vários adversários ao seu redor, e mais movimentos de finalização foram adicionados.

No game anterior, o batarangue e a bat-garra podiam ser acionados para dar continuidade ao seu combo, e esse sistema ganhou mais inclusões dos seus dispositivos para infernizar a vida dos inimigos. Transformar a cara dos adversários em purê já era bom antes, só que agora chega a ser ainda mais divertido e não fica repetitivo.

Ainda temos vários inimigos armados com fuzis e rifles de elite (os velhos snipers), mas eles recebem o mesmo tratamento do predador mostrado em Arkham Asylum. Circulando e se escondendo dos inimigos, Batman consegue retirar um a um com os golpes sileciosos, ou simplesmente desativar remotamente as armas sem que seus inimigos percebam, somente para ver a cara de perplexidade deles ao tentar atirar e descobrir uma arma falha.

E se tudo der errado e você se encontrar no alvo de vários tiros, as bombas de fumaça (uma muito bem-vinda adição por sinal) simula um ambiente de fumaça te dando a chance de derrotar seus oponentes, enquanto eles estão cegos. Vale salientar, não existe mais distinção entre “áreas de mano-a-mano” e “áreas de stealth” como havia anteriormente. Em Arkham City, qualquer lugar é bom para se ter uma briga, assim como qualquer topo de prédio é bom para se ter um alvo.

Vários personagens das histórias do Batman aparecem no jogo, e assim como no game anterior, nenhuma aparição soa forçada, ou incluída por “”pressão dos fãs”. Aliás, essa inclusão de personagens algumas vezes age contra você, seja ao procurar pistas sobre alguém e inadvertidamente entrar no território inimigo (o que ocasiona uma chuva de balas ou um pelotão de inimigos raivosos), seja sendo desviado do seu objetivo por causa de um outro chamado, que muitas vezes pode representar uma armadilha.

Mas um ponto onde realmente ficou falho foi o pouco desenvolvimento dado para alguns dos vilões mais memoráveis das histórias, como o Duas-Caras, que aparece numa animação, e depois leva um soco da mulher gato e nunca mais aparece de novo na história principal. Acontece com alguns outros personagens também, mas vamos nos abster de spoilers.

Outro ponto negativo é a batalha com chefes. São poucos pela cidade, assim como Arkham Asylum, mas desta vez elas estão bem mais fáceis, e você consegue descobrir o padrão de ataque depois do segundo ataque. Mesmo jogando no modo mais difícil, em vários momentos achei mais fácil os chefões do que lutar contra um grupo de 20 inimigos variados.

Cada vez que temos um encontro com novos personagens, ou quando coletamos os troféus do Charada, novas informações são desbloqueadas, que você pode conferir na tela do Bat-computador. Alguns toques te levam ao sistema de upgrades e aos desafios do Charada, que mapeiam onde você encontrou ou marcou os troféus, onde viu os reféns dele ou onde estão objetos quebráveis.

O Charada vai te dar mais dor de cabeça dessa vez, mas uma mudança boa na jogabilidade adicionou estratégia ao seu combate, já que alguns inimigos na cidade são também informantes do Charada. Deixa-los por último te garante a chance de um interrogatório, revelando todas as localizações desses ítens colecionáveis numa determinada área, substituindo os mapas do jogo anterior.

Você coleciona os troféus, tira fotos com o detective mode de cenas para responder às questões dadas pelo vilão, e encontra os grandes pontos de interrogação pintados pelo cenário. A novidade são alguns troféus dentro de armadilhas que requerem algumas pequenas tarefas para serem abertas, utilizando seus gadgets.

Ainda sobre personagens, uma inclusão muito bem vinda neste game é a Mulher-Gato. Não somente ela tem sua própria história (inclusa num DLC, que vem nas versões em pré-venda gringa ou na versão básica brasileira), ela tem seus próprios movimentos e objetivos. Caso você tenha o código pra ativar a personagem logo de cara, faça isso.

Uma das primeiras missões do Morcegão é descobrir o que está realmente havendo dentro de Arkham City, e ninguém melhor do que uma espiã pra saber disso, já que a Mulher-Gato usa Arkham como seu quintal.

Habilitando a personagem, você terá acesso à uma trama paralela somente dela, o que incluiu seu próprio sistema de movimentação e combate. Do alto dos prédios, Selina Kyle mergulha para as profundezas de Arkham contando somente com seu chicote e suas habilidades felinas. Basicamente, basta mirar num ponto e acionar o chicote, e mesmo que você não alcance o local exato do pulo, uma mira surge, para ela se deslocar aos seus comandos, em timing perfeito até atingir seu objetivo.

O mapa de Arkham City está pelo menos 4x maior do que o asilo, o que era mais uma promessa da Rocksteady bem cumprida. Mas não é somente uma mapa maior, é realmente caracterizado em diversas áreas, como partes industriais, museus, a antiga delegacia de polícia de Gotham, e o antigo Tribunal de Gotham, que cada cabeça do crime toma cada área como base de operações.

Ainda temos uma seção subterrânea graças ao antigo sistema de metrôs, além de alguns quilometros de tubulação e áreas secretas que podem ser exploradas. Localizada ao Norte de Gotham, os detalhes de decoração e os cartazes já precários devido ao tempo imprimem uma sensação de história ao ambiente, que eventualmente sucumbiu e foi usado às pressas como esse mega-presídio.

Todo o visual do jogo assusta. A Gotham criada para esse jogo, representada pelos cenários de Arkham, é uma dissociação de qualquer outra, seja dos filmes anteriores, seja dos quadrinhos, seja das animações. Toda a cidade tem aquele aspecto cinzento, sombrio e depressivo, com exceção do terreno do Coringa, que leva algumas pinturas florescentes, mantendo o mesmo nível de insanindade do seu principal habitante. Existe uma grande área central, inacessível até perto do fim da história principal, mas que ficou sub-utilizada por ser quase 1/5 do terreno que você acessa por menos de 30 minutos.

Posso afirmar sem dúvida que a espera valeu a pena. Batman: Arkham City é grande, é diversificado, eleva todos os bons aspectos que tínhamos em Arkham Asylum, inova em boas partes, e mesmo com uma crítica ou outra, o jogo parece ser bem fechado, como uma autêntica experiência na vida do Homem-Morcego. Mesmo que você queria se concentrar só na história, você vai investir algo como 10 horas de jogo, e pode expandir esse número até 3 vezes buscando cada detalhe que a cidade tem pra oferecer.

Combater inimigos ficou maior e mais complexo, mas ao mesmo tempo mais gratificante quando você engata aquele combo de 30+ hits. Caçar e neutralizar seus inimigos também ficou mais variado graças aos novos aparelhos, e você terá chance de colocar tudo em prática nos challenges (que chegam em maior quantidade e muito mais variados) após terminada a história principal.

Para quem é fã do Homem-Morcego, e que realmente mergulha no universo criado nos quadrinhos, Arkham City é um verdadeiro fan-service, por respeitar os mais de 60 anos de história do Batman. E pra quem curte games, é um balanço ideal entre uma história densa com vários objetivos e um free-play responsável com horas de opções. Definitivamente, é o melhor jogo de super-herói já feito.

[Tweet Post] Batman Arkham City – Launch Trailer

Essa semana entrará para a história dos games como a semana onde saiu a sequência mais esperada de um dos melhores games de super-herói já feitos: Batman Arkham Asylum. O jogo deve estrear em prateleiras americanas no dia 18 de outubro, e teve seu lançamento confirmado para o dia 21 aqui no Brasil.

Desde ontem já pipocam reviews, vídeos e análises sobre o jogo, e pode esperar que em breve também teremos uma por aqui (óbvio). Enquanto isso, fique com o trailer de lançamento do jogo, num carater especialmente cinematográfico.

 

 

[New Game] Catwoman em Arkham City!

Às vésperas dos anúncios oficiais da E3, algumas pérolas já foram desponibilizadas pelas interwebs para esquentar os motores da feira, e uma das mais gratas surpresas até hoje, veio com o vídeo abaixo.

Sim, senhoras e senhores, Catwoman será um personagem jogável, por isso espere por seções mais acrobáticas, lutas mais sensuais e habilidades de subir em paredes!

Batman Arkham City deve sair em Outubro deste ano! Qualquer novidade você pode acompanhar por aqui e pelo nosso twitter @diadegamer!

[New Game] Batman Arkham City

Semana passada foi anunciado o dia em que será lançada a mais esperada sequência dos games de super-heróis dos últimos tempos: Batman Arkham City será colocado à venda no dia 18 de outubro de 2011, por isso, marque seu calendário, anote na sua agenda, poste no seu blog (#Inception) e comece a contagem regressiva.

Outubro nunca pareceu tão distante.

A história deve seguir à temática do primeiro jogo, porém várias novidades estarão em cena. A primeira delas, diz respeito à movimentação: Batman estará solto, com seu arpão e sua capa, pronto para se agarrar a (quase) qualquer pedaço de reboco, telhado ou puxadinho da cidade para perseguir e nocautear suas presas, num sistema muito parecido com o que a Square Enix usou em Just Cause 2 (e que eu já havia afirmado que poderia ser usado na sequência do jogo do Homem-Morcego).

[gametrailers 711910]

Saca só a empolgação dos produtores!! EU QUERO!!

Mas claro, mais mudanças estarão a caminho. Primeiro, se a promessa for mantida, Batman já começará com mais bat-gadgets, por ser quase uma sequência direta aos eventos do jogo anterior. Outro ponto, que vem para corrigir um das maiores críticas de Batman Arkham Asylum, é a utilização do modo Detective somente em partes específicas do jogo, já que outros motivos o farão retirar as lentes e observar o ambiente. O combate, que foi bastante elogiado no antecessor, recebeu mais detalhamento, mais variedade, e agora a sensação de “um inimigo por vez” tende a acabar completamente. Contra-golpes poderão ser utilizados em mais de um inimigo, e os gadgets terão mais fluidez durante a luta, aproximando os adversários, ou afastando um grupo todo de um só vez.

[gametrailers 711828]

Primeiro vídeo de Gameplay. EU QUERO!!²

Dos personagens confirmados, temos Coringa e Harley Queen, Mulher-Gato, Charada, Duas Caras, e aquele que estará por trás do “big plot”, Dr Hugo Strange. É estranho achar que o Coringa não seja o cabeça desta vez, mas acho que repetir o vilão poderia ficar bem forçado. Não que ele não irá importar, muito pelo contrário; como ele é um “fanático” pelo Batman, ele deverá aproveitar a situação criada na cidade para azucrinar o Homem-Morcego, algo semelhante à participação do Croc, ou do Espantalho no game anterior.

Batman Arkham City promete, e eu realmente não vejo a hora de pegar o jogo e testar cada uma das acrobacias e novidades colocadas nos vídeos. Como que cada personagem irá interagir com os demais, as mudanças de cenários, os possíveis mistérios do Charada, as armações do Coringa e o papel da Catwoman são algumas das perguntas que ainda teremos novidades a respeito. Mas mesmo que todas as suas possíveis perguntas sejam respondidas antes do jogo, nada vai superar a sensação de jogar o jogo.

Batman Arkham City sai dia 18 de outubro, e qualquer outra novidade pode ser acompanhada no site principal www.batmanarkhamcity.com

 

[GAME ON] Os games mais esperados de 2011!

O ano de 2011 promete. Algumas trilogias se encerram nesse ano, alguns games aguardados há décadas saem esse ano, dois novos sistemas se desenvolvem ainda mais nesse ano. Desde os anúncios de games na VGA e nas premiações de final de ano, até alguns que assim que acabamos de jogar sabíamos que continuações viriam, vários deles desembocam esse ano por aqui. E haja grana pra comprar e tempo para jogar todos eles.

Abaixo você confere as últimas datas para alguns dos lançamentos mais esperados deste ano, para PS3, PC e Xbox, além da minha ânsia por alguns deles.

Janeiro

  • LittleBigPlanet 2 – 18 [PS3] (gimme gimme gimme!!!)
  • Mass Effect 2 – 18 [PS3]
  • Dead Space 2 – 25 [PS3, XBox 360, PC]
  • DC Universe Online – 11 [PS3, XBox 360, PC]

Fevereiro

  • Marvel vs Capcom 3 – 15 [PS3, XBox 360] (gimme gimme gimme!!!)
  • Bulletstorm – 22 [PS3, XBox 360, PC]
  • Killzone 3 – 22 [PS3] (gimme gimme gimme!!!)

Março

  • Deus Ex: Human Revolution – 8 [PS3, XBox 360, PC] (gimme gimme gimme!!!)
  • Homefront – 8 [PS3, XBox 360, PC]
  • Dragon Age 2 – 8 [PS3, XBox 360, PC]
  • Yakuza 4 – 15 [PS3]
  • Crysis 2 – 22 [PS3, XBox 360, PC] (gimme gimme gimme!!!)
  • FEAR 3 – 22 [PS3, XBox 360, PC]
  • Shift 2 Unleashed – 29 [PS3, XBox 360, PC]

Abril

  • Sorcery – 1 [PS3]
  • Mortal Kombat – 19 [PS3, XBox 360]
  • Portal 2 – 19 [PS3, XBox 360, PC] (gimme gimme gimme!!!)

Maio

  • Duke Nukem Forever – 3 [PS3, XBox 360, PC] (UPDATE! Valeu @decomush pelo lembrete!!)
  • L.A. Noire – 17 [PS3, XBox 360, PC]
  • inFamous 2 – 24 [PS3]

Setembro

  • Resistance 3 – 6 [PS3]

Novembro

  • Uncharted 3: Drake’s Deception – 1º [PS3] (gimme gimme gimme!!!)
  • Elder Scrolls V: Skyrim – 11 [PS3, XBox 360, PC]

Ainda sem data confirmada (Why?? Porque essa tortura da falta de informações???)

  • Batman: Arkham City [PS3, XBox 360, PC] (gimme gimme gimme!!!)
  • Forza Motorsport 4 [XBox 360] (gimme gimme gimme!!!)
  • Gears of War 3 [XBox 360] (gimme gimme gimme!!!)
  • The Last Guardian [PS3] (gimme gimme gimme!!!)
  • Ratchet and Clank: All 4 One [PS3]
  • Battlefield 3 [PS3, XBox 360] (UPDATE! Valeu LostRiderBR pelo lembrete!!)
  • Mass Effect 3 [PS3, XBox 360, PC] (gimme gimme gimme!!!)

Bonus Round! Confira aqui um vídeo do início do ano onde o site Gametrailers mostra um top 10 com os jogos que eles mais querem jogar, mas que não tem muitos detalhes ainda!

[gametrailers 709232]

[Tweet Post] Video Game Awards 2010!

Rolou no dia 11 de dezembro a Edição anual da Video Game awards, premio concedido pela Spike TV para os melhores em determinadas categorias. Com mais de 5 edições no currículo, fica claro que a VGA tem tudo para se tornar a premiação mais importante do mercado de games.

Devido à importância e atenção recebidas pela noite de premiação, algumas produtoras lançam pequenos teasers para os jogos de ano que vem, como Uncharted 3, Batman Arkham City e Portal 2. A lista completa e os links dos vídeos você encontra no site da GameTrailers.

BATMAN ARKHAM CITY – World Premiere Preview

O realismo está impressionante…

UNCHARTED 3: DRAKE’S DECEPTION – World Premiere Preview

Drake está de volta, e agora no deserto.

PORTAL 2 – World Premiere Preview

Dois personagens novos que lembram muito os núcleos da Glados.

MASS EFFECT 3World Premiere Trailer

Commander Shepard retorna… Mais uma vez!

Ainda tivemos trailers de Resistance 3, Prototype 2, Thor e Forza Motorsport 4. Vale a pena conferir cada um deles.

E aguarde em breve no Nerdrops Games um especial sobre a VGA!