Tag Archives: Naughty Dog

[Game ON] Uncharted: Drake’s Fortune

Game on Post

Uncharted CapaNo dia 13 de Outubro será lançado o tão aguardado game Uncharted 2: Among Thieves, exclusivo para Playstation 3, sequencia de Uncharted: Drake’s Fortune, lançado em 2007, ambos da produtora Naughty Dog. Aproveitando essa deixa, vou lançar aqui a minha análise de Drake’s Fortune.

[PRÓS]

  • Jogabilidade fácil e intuitiva, fácil dominar o uso de qualquer arma;
  • Enredo interessante, com uma história convincente;
  • Dublagem dos personagens bem feitas, criando personalidades bem definidas;

[CONTRAS]

  • Niveis “hard” e “crushing” são bem desafiantes;
  • Algumas partes em tiroteio, principalmente nos modos mais difíceis, podem ser bem frustrantes;
  • Algumas partes da história não são muito bem desenvolvidas.

[INTRO] –  Vou começar dizendo que mesmo tendo sido lançado no início do ciclo de vida do PS3, o game apresentou gráficos bem realistas, aliados à um enredo muito interessante, uma jogabilidade simples e intuitiva, e garantiu vendas significativas. Por se tratar de um jogo que envolve muita exploração na selva, a interação com a natureza teve uma atenção especial, e mostrou um resultado impressionante. É claro que alguns filtros que seriam usados em jogos posteriores dariam um tratamento ainda mais refinado ao jogo, mas pela época em que foi feito, é de se notar (um desses filtros pode ser desbloqueado após uma certa quantidade de pontos). Pra mim foi uma daquelas gratas surpresas, onde você não ouve falar do jogo, e quando joga, começa a se questionar porque leva tanto tempo para lançarem um jogo assim.

Uncharted Cenario

[GAMEPLAY] – O jogo mistura seções de tiro com plataforma, mas a seção de plataforma não é um mundo tão aberto quanto Assassins Creed, por exemplo. Segue muito uma linha de jogo como Tomb Raider ou Prince of Persia, onde visualmente você identifica onde deve dar o seu próximo passo. Existem também algumas seções de veículos, como jet-skis e jipes, mas sem quebrar o clima do jogo.

Como qualquer jogo de aventura nas selvas, Nathan deve pular sobre penhascos, saltar em rios, explorar cavernas, e tudo está fielmente representado durante o jogo. Até algumas outras ações e reações do personagem são notáveis, como quando ele se abaixa ao receber um tiro na parede próxima, ou quando uma granada é lançada e ele sente a urgência em sair correndo. Outro ponto notável é a sensação de que Nathan pode falhar durante seus momentos acrobáticos, já que ao pular sobre um grande penhasco, os seus braços vão em direções diferentes, e quando atinge a borda do outro lado, ele pode ficar pendurado em uma das mãos somente, e inclusive soltar um suspiro de alívio. Dá uma certa humanização ao personagem, e atrai a simpatia dos jogadores.

Uncharted Plataforming_550

O roteiro conta a história de Nathan Drake, supostamente descendente do lendário explorador Sir Francis Drake, e sua busca pelo El Dorado, a famosa cidade feita em ouro dos Maias. Ou Incas, não sei ao certo. Para tal, ele busca algumas pistas já frias sobre a localização do túmulo de seu antepassado, e consegue obter um caderno com as anotações feitas por Sir Drake ao viajar pela América Central em busca do tesouro.

Só que seu parceiro de longa data Victor Sullivan acaba falando demais, e logo outros caçadores de tesouros aparecem para pegar o tesouro, já que Sullivan tinha um débito enorme com eles. E então, o que seria uma busca histórica pelos tesouros arqueológicos passa a ser uma corrida contra o tempo, para que os mercenários não cheguem ao El Dorado antes de Nathan. E além disso, temos a repórter Elena Fisher, que está acompanhando toda a expedição de Nathan desde o início, como parte de seu programa sobre aventuras históricas, e acaba sendo envolvida nessa corrida, movida pela vontade de apresentar tais descobertas em sua emissora.

Uncharted Fight_550

As atuações de voz do jogo são realmente impressionantes, e ajudam a fundamentar a personalidade de cada um dos personagens, e estão todos lá: o mocinho e a mocinha, o experiente, o bandido de fala calma e maneiras educadas, e o capanga mais ação do que palavras. A ironia e o sarcasmo de Nathan aparece em vários momentos, até nos mais inoportunos (caindo de um avião, sendo sequestrado por rivais, perseguido por mercenários ou outros quaisquer).

Uncharted Cenario2

[ANÁLISE] – Segue aí os aspectos do jogo separados um a um!

  • Gráficos: 9/10 – Em alguns momentos o jogo te lembra visualmente de que é de primeira geração, e alguns filtros a mais poderia ser aplicados para os gráficos ficarem mais refinados;
  • Jogabilidade: 10/10 – Extremamente intuitivo, sem glitches, e de fácil memorizaçãopara utilizar qualquer arma do jogo;
  • Som: 10/10 – Sons da natureza e de seus inimigos bastante nítidos e de fácil percepção. Trilha sonora acompanha a ação no ritmo certo;
  • Fator REPLAY: 10/10 –Mesmo sendo curto, você vai querer jogar várias vezes. São 60 tesouros (e um secreto) no jogo, além de vários bônus por recompensas (troféus), que vão fazer você querer jogar em todas as dificuldades.

[NOTA FINAL: 9,5] – Pra mim Uncharted: Drake’s Fortune é um dos modelos de games que deve ser seguido: simples, convincente, roteirizado, interessante, jogável e fundamentalmente divertido. seja pelas batalhas, seja pela história ou seja pra ouvir as piadinhas do Nathan, você vai gostar dessse jogo. E vai querer voltar e jogar mais vezes, pela diversão, ou pelos bônus. Espero sinceramente que Uncharted 2: Among Thieves seja tão interessante quanto esse primeiro foi.