Tag Archives: reviews

[Game ON] Não acredite em qualquer review!

*Texto originalmente publicado no Nerdrops. Republicado sob autorização.

Recentemente eu li uma tirinha que me fez parar e pensar. Como não consegui achar a mesma de novo, vou tentar explicar. No mundo dos reviews de filmes, numa escala de 0 a 10, 5 quer dizer um filme mediano, 7 um bom filme, e 10 um filme imperdível. Já na mesma escala, se tratando de games, 10 é um jogo “imperdível”, 9 um jogo excelente, 8 um jogo bom, e daí pra baixo, “esqueça”. E não é bem assim que precisa ser.

A indústria de games é relativamente nova, logo, o jornalismo de games também o é. Muito do que se é feito tanto no desenvolvimento de games quanto nos reviews é feito baseado em “amor pela arte”, “identificação” e dinheiro, claro. Vide este que vos escreve, eu coloco estes artigos aqui e noNerdrops como hobby, não é por nenhuma profissão nem pagamento que faço isso, mas gosto de fazer, tanto escrever quanto falar de games.

E em determinado momento essa “paixão” pode de certa forma prejudicar você, gamer, na hora de pesar opiniões sobre comprar um jogo ou não. Tivemos escândalos bem recentes, como o da IGN que pediu dinheiro à Rockstar Games para avaliar o então inédito GTA IV, e garantir um bom review, ou sobre as acusações de que sites americanos tendem a valorizar cópias de XBox em detrimento dos mesmos de PS2, GameCube e Dreamcast, ainda na geração passada. Por isso que eu digo que o melhor review é você quem faz.

E eu digo isso tudo por um simples motivo: ignorei algumas notas dadas a games recentes e comprei os mesmos numa promoção quando fui aos EUA. Entre eles, estavam Dead to Rights: Retribution e Transformers: War for Cybertron. No Gamerankings, site que agrega as notas dadas por outros sites e usuários em geral, Dead to Rights teve um score médio de 6.3, e Transformers 7.8, ambas as notas que caem abaixo daquela linha do “aceitável” descrita anteriormente. E aí é que está: os jogos são bons, bem diferentes da “porcaria” pintada nos reviews, e consegui me divertir muito com eles. Neste caso, ignorar o conhecimento geral foi uma boa idéia, e me levou a crer que outros games pode ter sido sub avaliados também.

Sendo assim, peguei 2 jogos que joguei e que nem sequer li reviews sobre (Enslaved: Odissey to the West e Just Cause 2), e fui conferir seus scores. Ambos estavam com notas em média de 8.2, mas depois de ter jogado os mesmos, posso dizer que eles mereciam pelo menos 8.5, quem sabe um 9. Não são jogos perfeitos, longe disso, mas por exemplo Just Cause 2 eu acumulei mais de 30hs de game pelo simples fato de ser divertido escrotizar uma base militar, se agarrar numa barriga de helicóptero, voar pra longe, pegar um caça e voltar na base pra terminar a escrotização. E Enslaved eu joguei direto 2 vezes (coisa que quase nunca faço), só para terminar de desenvolver o personagem. São jogos simples, mas muito divertidos, e que com certeza valeram cada centavo que paguei por eles, assim como minhas cópias de Halo, God of War e Uncharted 2.

O que eu quero dizer é bem simples: se quiser saber se um jogo é bom ou ruim, pergunte para quem jogou, pergunte também o porque de tal avaliação, e compare as suas expectativas com as dele. Vai ficar mais fácil para você criar uma noção do que esperar neste jogo. Não faça como eu, que foi no Hype por Halo ODST (embora nem havia muito hype), comprou o jogo e até hoje chora num quarto escuro por causa da porcaria de jogo que isso é. Ainda bem que veio Halo Reach depois e apagou essa impressão. E quanto às avaliações, não fique cego com relação à notas. Os pontos são dados por pessoas com gostos, com critérios e com emoções diferentes das suas. Critérios que não importam tanto pra você podem importar muito pra ele, e vice-versa. Reveja aquele jogo que levou um 8, um 8.5, e você poderá se divertir bastante com ele. Somente seguinte este novo critério, “descobri” pelo menos 5 jogos que me divertiram bastante, e vai acontecer o mesmo com você.